Gestão de conteúdos no Portal

 

 

Acessibilidade

A acessibilidade visa a atender usuários portadores de necessidades especiais fornecendo recursos operacionais alternativos para acesso à internet. O TCU tem como princípio a adoção de uma política democrática de acessibilidade aos conteúdos e serviços disponíveis no Portal.

Essa política pretende promover a inclusão tecnológica a qualquer cidadão na medida em que dispõe de recursos de navegação compatíveis com as especificidades físicas que cada necessidade exige, em cada um dos sentidos humanos utilizados durante o acesso: o tato, a audição e a visão.

Indivíduos com deficiência visual, auditiva, cognitiva ou motora, com baixa capacidade de assimilação ou pouca habilidade tecnológica e os idosos devem ter acesso às informações com o mínimo de limitações possíveis. 

Garantir que um maior número de usuários, em diferentes condições físicas ou cognitivas, possa navegar no Portal é uma premissa estabelecida pela Lei de Acessibilidade para sítios eletrônicos do Governo Federal (Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000).

Os recursos de aumento de fonte de texto e alteração dos esquemas de cores, disponíveis no cabeçalho das páginas, contribuem para acesso ao conteúdo por pessoas com disfunções visuais comuns ou raras, como a miopia e o daltonismo.

Recursos alternativos de navegação, como o uso de teclas de atalho ao invés do mouse, simplificam o acesso de indivíduos com cegueira ou dificuldades locomotoras permanentes ou temporárias. A descrição textual alternativa de elementos visuais (fotos, imagens, gráficos e tabelas) permite a captura de textos por softwares de leitura de tela que, por sua vez, podem converter informações textuais em sistemas sonoros ou táteis.

O uso de linguagem direta e de símbolos, imagens e itens de navegação padronizados pretende tornar o conteúdo publicado suficientemente intuitivo e livre de obstáculos ao acesso. 

A disposição dos controles e funcionalidades da interface gráfica, tanto quanto seu aspecto geral, visam a atender às especificações internacionais de ergonomia e acessibilidade do World Wide Web Consortium (W3C), da organização Acessibilidade Brasil, bem como das demandas de adequação para sítios institucionais estabelecidas pela política federal de Governo Eletrônico (e-Gov).