Imprensa

05/03/18 16:25

Confira o funcionamento da rede de atendimento a mulheres

Em meio ao debate que se levanta com mais força em março, mês do Dia Internacional da Mulher, o #EuFiscalizo traz informações de como está funcionando a rede de atendimento à mulher vítima de violência
iStock-180135142.jpg
vikenvia mulher

Violência. Em casa, no trabalho, nas ruas.  É isso que grande parte das mulheres enfrenta todos os dias, seja ela física, brutal ou sutil e disfarçada. Em meio ao debate que se levanta com mais força em março, mês do Dia Internacional da Mulher, o #EuFiscalizo traz informações de como está funcionando a rede de atendimento à mulher vítima de violência. No quadro talk show, o secretário da Secretaria de Controle Externo da Previdência, Trabalho e Assistência Social, Fábio Granja, e a oficial do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Ismália Afonso, refletem sobre esse tema.

O Brasil é o quinto país em assassinatos de mulheres, o feminicídio. No centro dessa questão complexa estão valores e hábitos que tornaram essa violência algo natural. “Existe uma forma de subjetivação das mulheres na nossa cultura brasileira onde você ser mulher é você ser escolhida e validada por homem. “, afirma Valeska Zanello, professora de psicologia clínica da Universidade de Brasília. “A gente precisa ter campanhas e formas de descolonização afetiva das mulheres”, completa.  

As mulheres formam o grupo social discriminado há mais tempo na história e carregam o título de serem as vítimas do tipo de violência mais democrática que há, pois desconhece barreiras de classe social, nível de escolaridade, idade.

A edição de março do #EuFiscalizo está disponível no portal TCU, no canal do TCU no YouTube, além de ser transmitida aos finais de semana pelas TV Senado e pela TV Câmara.

 

Acompanhe o TCU pelo Twitter e pelo Facebook. Para reclamações sobre uso irregular de recursos públicos federais, entre em contato com a Ouvidoria do TCU, clique aqui ou ligue para 0800-6441500