Imprensa

02/06/17 13:24

TCU concede prorrogação de prazo ao Ministério Público Federal

O MPF pediu prazo adicional de 60 dias para que sejam fechados os acordos de contribuição das construtoras Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Norberto Odebrecht

tcu.JPG

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu, em sessão plenária nesta quarta-feira (31), conceder ao Ministério Público Federal (MPF) prazo adicional de 60 dias para que sejam fechados os acordos de contribuição das construtoras Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Norberto Odebrecht. Elas estão envolvidas nas investigações de fraudes ocorridas em licitações relacionadas à Usina de Angra 3.

Foi adiada também a análise da aplicação da sanção de inidoneidade a essas três empreiteiras. O tribunal aguardará a manifestação do MPF acerca do compromisso delas de colaborarem com os processos de controle externo. O pedido de prorrogação do prazo foi protocolado pelo procurador da República Deltan Martinazzo Dallagnol, membro da força-tarefa da operação Lava Jato.

Em março deste ano, o TCU apreciou processo que trata de indícios de fraudes à licitação nos contratos de montagem eletromecânica da Usina Nuclear de Angra 3. Naquela ocasião, o acórdão determinou que fosse aplicada a sanção de inidoneidade para licitar com a administração pública federal a quatro das sete empresas integrantes do consórcio Angramon. Elas estão proibidas de participar das licitações federais pelo período de cinco anos.

 

Serviço:

Leia a íntegra da decisão: Acórdão 1132/2017-Plenário

Processo: 016.991/2015-0

Sessão: 31/5/2017

Secom – KD

Tel: (61) 3316-5060

E-mail: imprensa@tcu.gov.br

Acompanhe o TCU pelo Twitter e pelo Facebook. Para reclamações sobre uso irregular de recursos públicos federais, entre em contato com a Ouvidoria do TCU, clique aqui ou ligue para 0800-6441500