Prezado usuário, este portal não é compatível com o navegador Internet Explorer ou outros navegadores antigos.

Recomenda-se o uso de versões atualizadas dos navegadores Google Chrome, Microsoft Edge ou Mozilla Firefox.

A atenção primária à saúde e o Programa Mais Médicos para o Brasil: uma análise crítica e documental

CONCEIÇÃO.png

Texto para discussão

Autor:
Silva, Conceição de Maria.
Data:
31/08/20
Áreas temáticas:
Institucional Institucional
Palavras-chave:
Coletânea acadêmica Saúde pública Programa Mais Médicos SUS
Unidades técnicas:
ISC

Este trabalho teve como objetivo estudar a importância dos programas governamentais para a efetividade da Atenção Primária à Saúde (APS) no Brasil, por meio de um análise crítica e documental do Programa Mais Médicos (PMM), que foi criado e implantado pelo Ministério da Saúde (MS) e Ministério da Educação (ME), com o objetivo de melhorar o atendimento, a infraestrutura e a formação de médicos na APS. O Sistema Único de Saúde (SUS), que é o sistema de financiamento público de saúde no Brasil, desde a sua criação, nunca conseguiu atender, de forma satisfatória, em parte da sua responsabilidade, a demanda de atendimento e assistência à saúde. Vem se mantendo a ocorrência de situações graves de atendimentos insatisfatórios e de omissão, que geram uma incipiente eficácia, eficiência e efetividade, em algumas atribuições, nessa essencial atividade governamental, tanto em nível estadual e municipal. O SUS, criado a partir da Constituição Federal de 1988, padece ainda de prementes melhorias no que tange, principalmente, ao acesso ao atendimento de média e alta complexidade, que necessita de profissionais especialistas. Para a elaboração deste trabalho optou-se pela abordagem qualitativa e os métodos hipotético e dedutivo, obtendo dados e informações provenientes de revisão bibliográfica em sítios eletrônicos governamentais, de plataformas de trabalhos acadêmicos, de livros e revistas especializadas, além da citada análise crítica e documental do PMM. Após a análise crítica, percebeu-se a importância dos programas governamentais para a efetividade da APS no Brasil, tendo com estudo de caso uma análise crítica e documental do PMM implantado pelo Governo Federal.