InovaTCU

  »Projetos

Programa Reconhe-Ser - Trabalhos Inovadores - Análise de risco de favorecimento na relação UG x fornecedor

Descrição

A partir de pesquisa científica realizada pelo servidor responsável pela apresentação deste trabalho, que culminou na proposta de um modelo de cálculo de risco de conluio publicado em revista científica [1], foi realizado um trabalho conjunto entre a SEGINF e a SELOG visando conceber um ambiente de análise de risco e descoberta de conhecimento versando sobre a relação entre unidades gestoras (UGs) e fornecedores por elas contratados.

 

Contexto

Objetivos

O objetivo principal desse trabalho foi apoiar o trabalho de planejamento de auditorias da SELOG fornecendo uma visão abrangente do universo de contratos e aquisições da administração pública federal na qual informações quantitativas e descritivas são enriquecidas por indicadores qualitativos de risco. Partimos do pressuposto que o risco associado a uma contratação pode ser medido a partir de três conjuntos de indícios: problemas de governança da unidade contratante, perfil atípico do fornecedor e indícios de favorecimento na relação entre unidade e fornecedor. Para cada um desses conjuntos foram identificadas variáveis relevantes para a construção de indícios. Seguindo a metodologia proposta no modelo teórico acima citado, foram calculados valores para cada variável e cada par UG x fornecedor utilizando dados do SIASG, SIAPE, RAIS e Receita Federal. Foram ainda definidas  regras de negócio descrevendo o perfil buscado de par UG x fornecedor considerado como de risco. Utilizando esses indícios e as regras de negócio o modelo probabilístico foi processado e um indicador de risco obtido para cada par UG x fornecedor. Utilizando esse indicador e ainda dados descrevendo aspectos relavantes das UGs, dos fornecedores e da relação entre eles, em particular aquisições, contratos, pagamentos e indícios de conluio, foi concebido um painel interativo utilizando a ferramenta QlikView.

Resultados

Utilizando o painel a equipe da SELOG pode agora analisar UGs, fornecedores e os respectivos pares, criando filtros e recortes segundo os mais diversos critérios, para assim selecionar instâncias que deseja auditar.

O modelo analisou aquisições feitas entre 2010 e agosto de 2015, feitas por 3.272 UGs junto a 223.915 fornecedores, totalizando 897.303 pares, representando R$345 bilhões em gastos. Desse universo o modelo selecionou 5.338 pares como sendo de alto risco, envolvendo R$66 bilhões em gastos.

Período

Início: 01/05/2015

Fim: 30/09/2015

Unidades

  • SGI
  • Selog

Pessoas

  • MILTON GOMES DA SILVA FILHO

  • REMIS BALANIUK

  • SORHAYA SAMPAIO DE ARAÚJO

Documentos