InovaTCU

  »Projetos

Programa Reconhe-Ser - Trabalhos Inovadores - Uso de geoprocessamento em controle

Descrição

Como ferramentas de geoprocessamento para dar suporte às ações de controle externo destacam-se o uso de imagens provenientes de sensoriamento remoto (satélites, Vants e radares) com técnicas de geoprocessamento, aplicações de análise multicritério para informações geográficas e as plataformas de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) suportando todas estas tecnologias.

Para verificar a eficiência da análise multicritério como ferramenta de auditoria, foi realizado um teste piloto com base em um modelo de decisão por múltiplos critérios acoplado a sistemas de informação geográfica direcionados ao planejamento de transportes. O estudo foi desenvolvido para a planejada extensão norte da Ferrovia Norte Sul - FNS, interligando Açailândia/MA ao porto em Barcarena/PA.

Embora a tradicional análise custo-benefício seja amplamente utilizada na avaliação de alternativas para elaboração de projetos, é fato que custos e benefícios nem sempre podem ser facilmente monetizados. Nesses casos, a análise multicritério acoplada a um Sistema de Informações Geográficas (SIG) passa a ser uma importante ferramenta que permite ponderar os benefícios e custos dos impactos não monetizados. A ferramenta expande o poder de processamento e análise para uma alta quantidade e diversidade de variáveis consideradas e permite resumir em um resultado gráfico, variáveis não quantificáveis ou que não podem ser monetizadas. O modelo de análise multicritério utilizado integrou simultaneamente 35 variáveis distintas. As variáveis foram geoprocessadas e combinadas em 5 categorias. Foram produzidos mapas temáticos por variável e estes integrados com seus pares por categoria através de análise multicriterial. Posteriormente, as resultantes de cada grupo foram novamente integradas de forma a gerar mapas de forma que qualificam e quantificam as áreas de maior viabilidade para a implantação da infraestrutura. Os resultados do piloto foram muito positivos. O modelo revelou-se simples e flexível. Os resultados gráficos permitem uma fácil visualização comparativa das alternativas e dos corredores mais econômicos e eficientes. Ademais, o modelo traz transparência quanto aos dados utilizados, bem como valores e regras adotados.

O segundo piloto foi realizado no trecho de Anápolis da Ferrovia Norte Sul e avaliou ferramentas de sensoriamento remoto com uso de imagens de satélites e Vants/Drones para o acompanhamento de obras públicas. Primeiramente, foi realizado teste de conceito com a criação de um portal que mostra imagens e satélite geoprocessadas de forma que se pode avaliar o estágio da obra, a consistência com o planejado e sua compatibilidade com o orçamento e pagamentos ao longo do tempo.  Os trabalhos de interpretação e cartografia a partir de imagens óticas foram realizados no software HexGIS Desktop, distribuição do software Quantum GIS, suportada pela empresa HEX. Foram também gerados relatórios para detecção de mudanças ocorridas. Os dados resultantes são processados, armazenados e disponibilizados em um banco de dados geográfico.

Após esta etapa foram realizados dois voos de vant, por meio da empresa Terragraph, na região de Goiás em trecho da Extensão Sul da Ferrovia Norte Sul, em local que recebeu serviços de terraplenagem de corte e aterro, bem como sobre uma plataforma ferroviária concluída e sobre um estoque de brita para lastro. As imagens capturadas pela Vant, com precisão de cerca de 3 cm, foram processadas e geraram produtos geoespaciais, tais como a geração de nuvens de pontos 3D e modelo digital de terreno. O teste confirmou a viabilidade técnica e o potencial de utilização de Vant como instrumento complementar ao uso de imagens de satélite e geoprocessamento na área de infraestrutura.

O uso de ferramentas de geotecnologia possui a capacidade de aprimorar a atuação do controle externo, destacando-se o aumento da capacidade de fiscalização; ampliação da abrangência espacial e temporal do controle; redução de custos com viagens; fiscalização em tempo real de atividades críticas; aumento da “expectativa” de controle. O conhecimento das geotecnologias viabiliza um controle externo mais atuante por parte do TCU, seja pelo aumento da capacidade de proposição de ferramentas para o exame do processo de formulação de políticas públicas, seja pelo aumento da capacidade de avaliação de políticas públicas instituídas. Nesse sentido, a realização deste piloto confirma a viabilidade técnica e o potencial de utilização das geotecnologias de análise multicritério nessas duas dimensões. Os próximos passos deste trabalho de pesquisa incluem a avaliação de outras geotecnologias e a avaliação da sua incorporação como ferramentas de controle externo.

Contexto

Objetivos

O objetivo deste trabalho é relatar como o uso de geotecnologias pode se tornar uma ferramenta inovadora para o controle externo, citando as principais ferramentas de geotecnologia atualmente disponíveis, elencando as vantagens de sua aplicação no âmbito do controle externo e descrevendo uma iniciativa piloto realizada na na diretoria de Ferrovias da SeinfraHidroFerrovia.

Resultados

Período

Início: 01/02/2014

Fim: 30/11/2015

Unidades

  • SeinfraPor

Pessoas

  • CARLOS AUGUSTO DE MELO FERRAZ

  • CYNTHIA DE F. QUEIROZ BERBERIAN

  • NIVALDO DIAS FILHO

  • RHERMAN RADICCHI TEIXEIRA VIEIRA

Documentos