Prezado usuário, este portal não é compatível com o navegador Internet Explorer ou outros navegadores antigos.

Recomenda-se o uso de versões atualizadas dos navegadores Google Chrome, Microsoft Edge ou Mozilla Firefox.

Gestão de Riscos no TCU

Conteúdo

Experiências no TCU

A publicação da Política de Gestão de Riscos do TCU em 2017 (PGR/TCU) marcou nova etapa no desenvolvimento dessa prática no Tribunal. Até então, a gestão de riscos ocorria em situações específicas, mas sem um instrumento que conferisse à prática abrangência institucional e arcabouço comum para apoiar os gestores na lide com os riscos. Destaque-se que a PGR/TCU conferiu à Seplan papel de unidade central do Sistema de Gestão de Riscos do TCU, função essa que é executada pela Diretoria de Governança, Gestão de Riscos e Segurança da Informação (Digov).

Durante esses 3 anos foram realizados trabalhos em diversas unidades do Tribunal e mapeados riscos de uma variedade de objetos. Entre os trabalhos de destaque podemos citar: a gestão de riscos da nova sede do Instituto Serzedello Corrêa, a de transição de gestão para a presidência de dois Ministros do TCU, gestão de riscos em nível de unidades e de processos, atividades e projetos de unidades básicas da Segedam, Segecex e Segepres.

Veja a seguir algumas experiências:

Riscos relativos à segurança da informação

Trabalho realizado pela Seplan por solicitação da Segepres com vistas a identificar os riscos de Segurança da Informação do TCU. Nesse trabalho, foram analisados 4 processos de Segurança da Informação constantes da política de Segurança da Informação e identificados os riscos e as respectivas medidas mitigadoras. A partir desse trabalho verificou-se que:

Riscos_Seg_Informacao.png

 

Revisão dos riscos do ISC 2017/2019

Em 2017, em função da construção do novo ISC e da reestruturação de suas atividades, foi solicitado a Seplan como parte dos trabalhos de reestruturação o levantamento dos riscos. A Seplan atuou em parceria com o Instituto na coordenação de diversas oficinas. Na época foram identificados 14 riscos que poderiam afetar a imagem ou funcionamento da nova estrutura.

Em 2019 foi solicitado monitoramento dos riscos para o novo contexto do ISC, que se configurou em virtude da mudança de comando e do novo cenário pelo qual passava o TCU em função da mudança de gestão que trouxe transformações significativas, como a centralização dos trabalhos na sede e delegação de novas atribuições aos estados. Veja resultados da revisão dos riscos abaixo:

Riscos_ISC.png

Projeto Integrar: OCDE/TCU/TCEs

Solicitação da Secex Educação para identificação de riscos do Projeto Integrar que consiste na identificação de indicadores que permitam o acompanhamento sistemático e periódico dos resultados das políticas em educação, bem como a seleção e a priorização de ações de controle por parte dos Tribunais de Contas.

Riscos_Integrar.png