Prezado usuário, este portal não é compatível com o navegador Internet Explorer ou outros navegadores antigos.

Recomenda-se o uso de versões atualizadas dos navegadores Google Chrome, Microsoft Edge ou Mozilla Firefox.

Construção e validação de um modelo de efetividade de equipes de Software

georgemarsicano_tese_ufpe_bdtd.png

Trabalhos acadêmicos

Autor:
George Marsicano Corrêa
Data:
01/10/20
Áreas temáticas:
Institucional Institucional
Palavras-chave:
Trabalho de equipe Engenharia de software Efetividade
Unidades técnicas:
ISC

Ao longo das últimas décadas, o estudo sobre equipes de trabalho produziu vários modelos visando explicar e prever o comportamento individual e da equipe, em situações do trabalho em equipe. Em geral, esses modelos utilizam estruturas Input-Process-Output (IPO). Ser capaz de compreender as potenciais relações entre os componentes IPO pode auxiliar as Organizações a estabelecerem ações visando a melhoria dos processos de trabalho e seus resultados. Ao observar os estudos da Engenharia de Software (ES), verifica-se que esses, têm dando pouca atenção aos fatores de entrada aos processos do trabalho em equipe. Aliado a isso, identifica-se também, uma ausência de estudos propositivos, no que se refere à construção e validação de escalas de medida capazes de capturar a percepção individual quanto aos componentes IPO e suas relações. Visando minimizar as lacunas observadas, o objetivo principal desta Tese é identificar e descrever a relação entre um subconjunto de fatores entrada (composição e estrutura de equipes), a qualidade do trabalho (processos), desempenho da equipe e sucesso pessoal (saídas), a partir da percepção de líderes e membros de equipes de software. Além disso, entre os objetivos secundários está a construção e validação de um conjunto de escalas capazes de medir os componentes IPO, referenciados, e suas relações. Para tanto, esta Tese teve como principal base metodológica, a teoria e o modelo de elaboração instrumental, proposto por Pasquali, os quais são baseados em três aspectos: teórico, empírico e analítico; assim como, a aplicação do método survey. A partir disso, foram realizados três estudos, os quais contaram com a participação de mais de 1800 sujeitos, de aproximadamente 100 diferentes Organizações, com representação em todas as Regiões brasileiras. O principal resultado deste trabalho foi a identificação e descrição das relações entre fatores de composição e estrutura de equipe, a qualidade do trabalho e seus resultados, a partir da percepção de membros e líderes de equipes de software. Esse resultado, revelou que o conjunto de fatores de entrada estudados relaciona-se de maneira positiva com os processos de equipe, assim como esses, com o desempenho da equipe e com sucesso pessoal. Além disso, foi possível verificar a relação de duas variáveis sócio-demográficas e os processos de equipe. Tais resultados foram organizados e representados em uma estrutura IPO denominada Software Engineering Teams Effectiveness Model (SETE Model). Ademais, gerou-se um conjunto de escalas válidas para equipes de software e uma diretriz que pode ser usada na construção de outros instrumentos de medição na pesquisa empírica de ES. Por fim, conclui-se que, o estudo das relações entre componentes IPO em equipes de software permitiu gerar resultados passíveis de utilização teórica e prática, contribuindo de maneira relevante no âmbito da ES, seja para expandir os conhecimentos atuais, seja para buscar a compreensão da percepção de membros e líderes de equipes de software, quanto aos construtos presentes no SETE Model. Os resultados obtidos abrem novas possibilidades de estudo e compreensão dos fatores envolvidos no trabalho em equipe no desenvolvimento de software, podendo o SETE Model ser utilizado como ponto de partida para tal.